Eu vi: Operação Big Hero

E finalmente chegou a segunda feira, o dia da semana mais amado do mundo (ai sem or), e para começarmos (ou terminarmos) bem nossa segundona. Venho lhes comunicar sobre uma nova animação. Se alguém já viu essa ferinha ai em baixo já deve saber que o post vai ser sobre o desenho mais esperado pela minha pessoa ( já foi lançado, só que sou pobre e ainda não assisti)
Em pleno seculo XXI percebemos que a era é dos nerd (eles que comanda toda essa bagaça, sakas?), uma época gloriosa para eles (acho tão chato classificar, mas enfim), não só porque os seus ídolos estão ganhando as telonas, mas os próprios  (mesmo que não  é por que querem) estão virando heróis.
É o que acontece em Operação Big Hero, que É A PRIMEIRA VEZ que a preciosa e grandiosa Walt Disney Pictures, trabalha em conjunto, explorando personagens da Marvel Comics. Big Hero 6  ainda sendo pouco conhecido são os supergrupo  de heróis, que são inspirados nos japoneses que neste longa ganhou uma grande americanizada.

E nessa mistura de Japas e Americanos nasce San Frantokyo,  (onde acontece tudo) guarda tanto elementos de São Francisco, as famosas ladeiras, Golden Gate, quanto as roupas coloridas, os cumprimentos, a robótica e claro os monstrinhos da cultura japonesa. E lá (na cidade com o nome estranho) que vive o menino prodígio Hiro Hamada, que dedica sua vida a construções de robôs, para participar das lutas clandestinas (não tao prodígio HAHA). O irmão mais velho desse ser ai, o Tadashi dá um empurrãozinho para que o irmão use o seu talento para coisas uteis da vida. E leva Hiro para conhecer o mundo dos sonhos de qualquer nerd.
E depois disso, você embarca em um grande tubo de emoções, logo de cara você já se apaixona pelo robô inflável (cara ele é gordinho, eu amo gordinho, até porque sou uma, então não teria cabimento não amar, enfim).


Nenhum comentário:

Postar um comentário